Logo ISPM

Instituto Superior Politécnico de Manica

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

No dia 09 de Dezembro de 2017 foi realizada uma visita de estudo a Cecil Kopj Nature Reserve, arredores da cidade de Mutare, República do Zimbabwe, inserida no módulo de Trabalho Independente para o Bloco de Gestão de Ecoturismo, do 2ºano do curso de Ecoturismo e Gestão de Fauna Bravia acompanhados pelo docente do módulo, o dr. Victor Felismino Américo.

A visita enquadrava-se no âmbito da vertente de extensão do ISPM, visando aprimorar as matérias de Ecoturismo e Conservação, bem como a conciliação da componente teórica do bloco no campo prático, por meio de elaboração e execução de um pacote turístico pelos estudantes do curso onde, o destino por estes seleccionado foi a Cecil Kopj Nature Reserve, tendo como objectivo:

·         Apreciação da natureza e da biodiversidade local, e

·         Obter conhecimentos e experiências sobre o estágio actual de conservação da fauna e flora no Zimbabwe.

Estiveram envolvidos no processo um total de 12 elementos discriminados em: 5 estudantes organizadores do evento, 4 estudantes que aderiram ao pacote (clientes/turistas), uma docente que igualmente aderiu ao pacote, um (1) motorista e o docente responsável do módulo (dr. Victor F. Américo), que no momento acompanhava os estudantes.

No Zimbabwe a equipe foi recebida pelo Mike Hitschmann, o gestor da Cecil Kopj Nature Reserve, e  sua assistente Evelyn Ngarakana, onde começou por fazer um breve historial da reserva, desde a sua criação, os propósitos da sua existência, ao seu estágio actual.

De seguida foram feitas apresentações de diferentes serpentes com destaque para House Snake, Forest Cobra e Puff Adder que a reserva mantém em regime de cativeiro, no âmbito do projecto de conservação e revitalização da área actualmente em curso. Durante a apresentação foi explicada razão de se manterem algumas espécies de fauna em cativeiro na área, bem como onde estas são adquiridas. Fez-se claro que as mesmas são resultado de um programa interno com a participação das comunidades, onde estas ligam para uma Linha Verde caso visualizem um serpente ou cobra nas proximidades das residências das comunidades e estes prontamente intervêm na captura do animal.

No seguimento da visita foi feita uma escalada a montanha do interior da área, onde foi explicado o valor medicinal, ecológico e económico da diversidade de flora local, bem como os desafios de conservação que a reserva ainda enfrenta.

 

A organização mostrou disponibilidade em cooperar com Instituto Superior Politécnico de Manica em matérias de conservação da natureza, tendo destacado que foi a primeira instituição de ensino superior em muitos anos que visita a reserva com olhos voltados inteiramente a conservação de vida selvagem e preservação ambiental. 

Agenda

Dom. Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

Redes Sociais